Análise do consumo de energia na produção de silagem de milho em plantio direto - DOI: 10.4025/actascianimsci.v25i2.1980

Agostinho Zanini, Alessandro Torres Campos, Tânia Maria Vicentini Prestes, Maria de Fátima da Silva Dalmolin, Aloísio Torres de Campos, Elcio Silvério Klosowski

Resumo


O agroecossistema, como um meio de converter a energia solar em produtos, necessita de várias fontes de energia, dentre as quais destacam-se a dos fertilizantes, a dos defensivos agrícolas e outras. No presente trabalho, realizou-se um estudo do consumo energético envolvido na produção de milho para silagem em sistema de plantio direto, na região de São Miguel do Iguaçu, Estado do Paraná. No consumo de energia direta, os combustíveis e lubrificantes foram os maiores consumidores, representando 45,90% do total, os defensivos agrícolas foram responsáveis pelo consumo de 24,12%, enquanto que os fertilizantes, por 10,53%. Ao computar os componentes de origem fóssil, os combustíveis, os lubrificantes, os defensivos e os fertilizantes, a participação do consumo total de energia foi de 84,07%.

Palavras-chave


agroecossistemas; energia na agricultura; fluxos de energia; infra-estrutura

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascianimsci.v25i2.1980





ISSN 1806-2636 (impresso) e ISSN 1807-8672 (on-line) e-mail: actaanim@uem.br

 

Resultado de imagem para CC BY