Histologia da pele do pacu (Piaractus mesopotamicus) e testes de resistência do couro - DOI: 10.4025/actascianimsci.v25i1.2071

Maria Luiza Rodrigues de Souza, Luciana Nakaghi Ganeco, Laura Satiko Okada Nakaghi, Regina Helena Sant'Ana Faria, Petra Maria Wagner, Jayme Aparecido Povh, Isabel Cristina Ferreira

Resumo


Este trabalho analisou a morfologia da pele do pacu, Piaractus mesopotamicus (Holmberg, 1887), e, após curtimento, a resistência do couro. Observou-se que a derme apresenta uma camada superficial com fibras finas, juntas e entrelaçadas, sem diferenciação quanto à disposição das mesmas e uma camada profunda, com fibras mais finas e espaçadas; e à medida que se distanciam da epiderme, os feixes de fibras tornam-se mais espessos, juntos e entrelaçados. A resistência à tração foi significativamente menor no sentido longitudinal (5,93 N/mm2) comparada ao transversal (13,81 N/mm2) em relação ao comprimento do corpo. O valor de alongamento até a ruptura foi superior (p<0,05) no corte transversal (76,98%) ao longitudinal (52,20%). Não houve diferença (p>0,05) para rasgamento progressivo. A resistência do couro à tração e alongamento foi superior no sentido transversal ao comprimento do corpo do peixe e não houve diferença para o rasgamento progressivo entre os cortes analisados (transversal e longitudinal). Sendo assim, a média da tração foi 9,87 N/mm2 e 64,59% de elongação, estando dentro dos padrões exigidos para ser utilizado na confecção de vestuário.

Palavras-chave


pele de peixe; testes de tração; teste de alongamento; teste de rasgamento progressivo; curtimento; fibras colágenas

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascianimsci.v25i1.2071





ISSN 1806-2636 (impresso) e ISSN 1807-8672 (on-line) e-mail: actaanim@uem.br

 

Resultado de imagem para CC BY