Suplementação de propilenoglicol para vacas no período peri-parto: efeitos sobre incidência de cetose, produção leiteira, escore corporal e primeiro estro pós-parto - DOI: 10.4025/actascianimsci.v25i1.2143

Luís Fernando Laranja da Fonseca, Paulo Henrique Mazza Rodrigues, André Pinto Lima, Carlos de Sousa Lucci, Marcos Veiga dos Santos

Resumo


Foi objetivo deste estudo analisar os efeitos da suplementação de propilenoglicol para vacas em lactação sob a ocorrência de cetose e as suas conseqüências na: a) produção de leite; e b) variação do escore de condição de corporal e primeiro estro pós-parto. Vinte e três vacas da raça Holandesa foram alocadas em dois tratamentos: 1) 300mL de propilenoglicol (grupo tratamento, 11 vacas), 2) 300 ml de água (grupo controle, 12 vacas), administrados através de beberagem no período peri-parto. Foram colhidas amostras de plasma para análise de ß-hidroxibutirato e realizada a avaliação do escore de condição (ECC) corporal. A incidência de cetose subclínica foi de 9,1% e 33,5%; o primeiro estro pós-parto foi em média 40,18 e 45,17 dias no grupo tratamento e controle, respectivamente. Não houve efeito do tratamento ou tempo sobre produção de leite, embora a interação tempo tratamento foi significativa. O ECC do grupo tratamento foi maior que o do grupo controle, mas não sofreu variação nos primeiros 60 dias de lactação.

Palavras-chave


vaca leiteira; reprodução; aditivo; desordem metabólica; beta-hidroxibutirato

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascianimsci.v25i1.2143





ISSN 1806-2636 (impresso) e ISSN 1807-8672 (on-line) e-mail: actaanim@uem.br

 

Resultado de imagem para CC BY