Substituição do milho por farelo de trigo ou farelo de glúten de milho na ração de bovinos de corte em terminação - DOI: 10.4025/actascianimsci.v29i1.251

Eduardo Meneguelli Pereira, Flávio Augusto Portela Santos, Carla Maris Machado Bittar, Térssio Roger Ramalho, Diogo Fleury Azevedo Costa, Junior Cesar Martinez

Resumo


O objetivo do trabalho foi avaliar a substituição do milho moído fino (MM) por farelo de trigo (FT) ou farelo de glúten de milho (FGM) na ração de 36 bovinos não castrados, em terminação (14 meses; peso inicial de 382 kg) durante 87 dias. A ração continha 24% de silagem de capim e 76% de concentrado, constituído por polpa cítrica, farelo de soja, uréia, minerais, bicarbonato de sódio e monensina sódica, além de uma das fontes energéticas testadas. A substituição de MM por FT aumentou a ingestão de FDN (p<0,05), mas não afetou os demais parâmetros avaliados. A substituição de MM por FGM reduziu o consumo de matéria seca (p<0,05) e o ganho de peso (p<0,10), aumentou a ingestão de FDN (p<0,05), mas não afetou a eficiência alimentar. Não houve diferenças para os valores observados de energia líquida de manutenção e de ganho para estas rações. A relação energia líquida observada/esperada do tratamento MM foi diferente das demais. Neste tipo de ração, MM pode ser substituído integralmente por FT ou FGM, sem que haja queda na eficiência alimentar ou no teor de energia das rações. O NRC (2001) subestimou os valores de NDT e as estimativas de energia líquida para o FT ou FGM.

Palavras-chave


energia; confinamento; amido; pectina; machos

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascianimsci.v29i1.251





ISSN 1806-2636 (impresso) e ISSN 1807-8672 (on-line) e-mail: actaanim@uem.br

 

Resultado de imagem para CC BY