Morfologia de órgãos digestivos e não digestivos de suínos de linhagens modernas durante as fases de crescimento, terminação e pós-terminação - DOI: 10.4025/actascianimsci.v29i3.553

Jacinta Diva Ferrugem Gomes, Soraia Marques Putrino, Milena dos Reis Martinelli, Mariane de Paula Ishi, Paulo José do Amaral Sobral, Romualdo Shigueo Fukushima

Resumo


O melhoramento genético de suínos levou ao surgimento de diversas linhagens suínas que apresentam elevada capacidade de desenvolvimento de massa muscular. Entretanto, pouco se sabe cientificamente sobre a morfologia de órgãos destes animais, conhecimento que ajuda a elucidar características relacionadas ao desempenho zootécnico como ganho de peso e conversão alimentar em carne magra. Objetivou-se, assim, comparar a morfologia dos órgãos digestivos e não-digestivos de suínos de linhagens modernas ao final das fases de Crescimentos I e II, Terminação e Pós-terminação. O peso dos órgãos em relação ao peso vivo diminuiu significativamente (p < 0,01) com o desenvolvimento corporal. A morfologia dos órgãos digestivos diferiu significativamente (p < 0,06) entre as linhagens, demonstrando diferentes capacidades digestivas e, possivelmente, consumo e eficiência alimentares das linhagens utilizadas. Foi observada também diferença significativa (p < 0,06) quanto ao comprimento do intestino delgado, o que pode ser indicativo para maior desenvolvimento dos tecidos corporais devido a maior área de exposição dos alimentos às células absortivas intestinais. Portanto, faz-se necessário o conhecimento detalhado da morfologia dos órgãos das linhagens, uma vez que estas características contribuem para o desempenho zootécnico dos animais.

Palavras-chave


desempenho zootécnico; fases de desenvolvimento; genética moderna; linhagens comerciais; órgãos digestivos; órgãos não-digestivos

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascianimsci.v29i3.553





ISSN 1806-2636 (impresso) e ISSN 1807-8672 (on-line) e-mail: actaanim@uem.br

 

Resultado de imagem para CC BY