Partição da biomassa e qualidade da forragem de Bahiagrass: Paspalun notatum cv. pensacola no centro-norte da Flórida - DOI: 10.4025/actascianimsci.v28i4.596

Marcia Mascarenhas Grise, Lynn Sollenberger, José Carlos Dubeux Junior, Sindy Interrante, Robert Lawton Stwart Junior, Adelino Pelissari

Resumo


Visando medir efeitos do manejo da Bahiagrass cv. pensacola (Paspalum notatum Flüggeé) na repartição de biomassa (kg ha-1) das folhas+colmos, serrapilheira, raízes+rizomas, e valor nutritivo da forragem, foi instalado um experimento próximo a Gainesville, Flórida, EUA. Tratamentos: três manejos contínuos (não intensivo, moderadamente intensivo, altamente intensivo, recebendo 40, 120, e 360 kg N ha -1 ano-1 e com lotação de 1,2; 2,4 e 3,6 UA ha-1, respectivamente) e um tratamento de manejo rotacionado (7 dias de pastejo e 21 dias de descanso), recebendo 360 kg N ha-1 ano-1 e 3,6 UA ha-1 (1 U A= 500 kg). A biomassa de raízes+rizomas foi superior a de folhas+colmos. Não houve efeito dos tratamentos na biomassa de raízes+rizomas. A biomassa de raízes+rizomas decresceu durante a estação de pastejo. A maior intensidade de manejo dos tratamentos altamente intensivo e rotacionado resultou em maior biomassa de folhas+colmos. A relação raiz/parte aérea decresceu com a intensificação do manejo. A biomassa de serrapilheira foi superior a de folhas+colmos nos tratamentos altamente intensivo e rotacionado, privilegiando a ciclagem de nutrienes via excreção animal. Os tratamentos não afetaram a FDN nem a DIVMO da forragem, mas intensificação do manejo tende a elevar a DIV MO da forragem.

Palavras-chave


gado de corte; intensidade de manejo; adubação nitrogenada; parte aérea; liteira; raiz

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascianimsci.v28i4.596





ISSN 1806-2636 (impresso) e ISSN 1807-8672 (on-line) e-mail: actaanim@uem.br

 

Resultado de imagem para CC BY