Diferentes níveis de formiato de sódio em substituição ao cloreto de sódio na dieta de frangos de corte - DOI: 10.4025/actascianimsci.v31i3.6020

Rita de Albernaz Gonçalves da Silva, João Carlos Maier, Fabiane Pereira Gentilini, Marcos Antonio Anciuti, Everton Krabbe, Débora Cristina Nichelle Lopes

Resumo


Objetivou-se avaliar a eficácia do formiato de sódio como fonte desse mineral na dieta de frangos de corte, comparando-o com o cloreto de sódio. Utilizaram-se 690 fêmeas de corte Ross, que receberam água e alimentação à vontade, divididas em cinco tratamentos e seis repetições, tendo cada repetição 23 aves. Os tratamentos consistiram: T1 (controle), T2 (formiato de sódio com 0,20% de Na+ com cloreto de amônia), T3 (formiato de sódio com 0,20% de Na+ sem cloreto de amônia), T4 (formiato de sódio com 0,16% de Na+ com cloreto de amônia) e T5 (formiato de sódio com 0,12% de Na+ com cloreto de amônia). O cloreto de amônia foi adicionado em alguns tratamentos para se equilibrar o balanço eletrolítico das dietas. Os dados foram analisados, utilizando-se Anova 5%, teste de Tukey com comparação de médias duas a duas. Observou-se que os diferentes níveis de formiato de sódio não comprometeram o desempenho das aves nem as variáveis de carcaça, mesmo quando o cloreto de amônia foi incluído. Com isso, conclui-se que o formiato de sódio pode ser utilizado como fonte desse mineral para substituir o cloreto de sódio em dietas de frangos de corte.

Palavras-chave


balanço eletrolítico; carcaça; desempenho; fontes de sódio

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascianimsci.v31i3.6020





ISSN 1806-2636 (impresso) e ISSN 1807-8672 (on-line) e-mail: actaanim@uem.br

 

Resultado de imagem para CC BY