Morfologia do esôfago e do papo de perdizes Rhynchotus rufescens (Tiramidae) - DOI: 10.4025/actascibiolsci.v28i2.1041

Juliana Regina Rossi, Silvana Martinez Baraldi Artoni, Daniela Oliveira, Claudinei da Cruz, Alex Sagula, Maria Rita Pacheco, Marcos Lania de Araújo

Resumo


Vinte exemplares de Rhynchotus rufescens foram utilizadas para estudar a morfologia do esôfago e do papo. O material para o estudo morfológico foi coletado e o comprimento dos órgãos foi avaliado. Para o estudo histológico, as secções histológicas foram coradas com tricromo de Masson, posteriormente analisadas e descritas. O comprimento médio total do esôfago foi maior em fêmeas. Na entrada do tórax, a parede ventral do esôfago se dilata, formando o papo, maior em machos. A mucosa do esôfago é formada por epitélio escamoso estratificado, com glândulas mucosas e nódulos linfáticos. Há três camadas de músculo liso, as quais são envolvidas por serosa. A característica histológica do papo é semelhante à do esôfago. No papo, as glândulas mucosas são menores e os nódulos linfáticos estão dispersos no tecido conjuntivo. Há uma camada delgada de músculo liso e outras duas camadas mais largas de musculaturas longitudinal e circular.

Palavras-chave


esôfago; papo; perdiz; morfologia

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascibiolsci.v28i2.1041





ISSN 1679-9283 (impresso) e ISSN 1807-863X (on-line) e-mail: actabiol@uem.br

 

Resultado de imagem para CC BY