Efeito da salinidade e do esgoto orgânico sobre a comunidade zooplanctônica, com ênfase nos copépodes, do estuário do rio Itanhaém, Estado de São Paulo - DOI: 10.4025/actascibiolsci.v26i1.1652

Paulo Eduardo Souza Pereira, Antonio Fernando Monteiro Camargo

Resumo


A partir da hipótese de que a comunidade zooplanctônica é influenciada pela salinidade e pelo lançamento de esgotos orgânicos, o objetivo deste trabalho é analisar a influência desses fatores sobre essa comunidade no estuário do rio Itanhaém, Estado de São Paulo. Foram realizadas amostragens do zooplâncton e de variáveis físicas e químicas da água em quatro estações de coleta, localizadas entre a linha de costa e a parte superior do estuário, incluindo um canal secundário que recebe esgotos domésticos sem tratamento prévio. As amostragens foram realizadas em baixa-mar e preamar no inverno e verão. Os resultados mostraram que este estuário possui uma variação temporal de características físicas e químicas, especialmente salinidade, devido à variação de marés e à variação sazonal de pluviosidade. Os maiores valores de salinidade foram observados no inverno e preamar. A comunidade zooplanctônica respondeu às variações de salinidade, com espécies adaptadas aos maiores valores de salinidade na parte baixa do estuário, no inverno. Embora o estuário do rio Itanhaém possua a mesma dinâmica temporal e espacial de outros estuários, os valores de salinidade são bastante reduzidos em comparação com outros estuários da costa sul paulista. Em conseqüência, a comunidade zooplanctônica foi constituída principalmente por organismos oligoalinos e de água doce. Essas características se devem à maior área de drenagem da bacia do rio Itanhaém quando comparada com a área dos outros rios costeiros do Estado de São Paulo. O esgoto orgânico modificou as características físicas e químicas da água, que possuiu maior concentração de nutrientes, maior quantidade de material em suspensão e menor concentração de oxigênio. Foi observada uma relação positiva entre densidade de náuplios de copépodes e poluição orgânica no estuário do rio Itanhaém

Palavras-chave


estuário; copépode; salinidade; náuplios; poluição orgânica

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascibiolsci.v26i1.1652





ISSN 1679-9283 (impresso) e ISSN 1807-863X (on-line) e-mail: actabiol@uem.br

 

Resultado de imagem para CC BY