Efeito da densidade de estocagem no cultivo de tainha, Mugil platanus (Günther, 1880) em laboratório

Luis André Sampaio, Ana Helena Ferreira, Marcelo Borges Tesser

Resumo


Estudou-se o efeito da densidade de estocagem sobre a produção de alevinos de Mugil platanus em laboratório. Foram testadas cinco densidades de estocagem em duplicata: 1, 3, 5, 10 e 15 tainhas/L. Os peixes foram alimentados duas vezes ao dia, sendo oferecido alimento na proporção de 10% do peso vivo de cada tanque. O melhor crescimento foi observado para os animais cultivados na menor densidade de estocagem (1 alevino/L). Observaram-se neste tratamento a melhor qualidade de água e a maior sobrevivência. Por outro lado, o maior número de animais foi produzido na densidade de 10 alevinos/L; entretanto, isto foi obtido às custas de uma menor qualidade da água, que se refletiu em uma redução no crescimento e na sobrevivência. No caso de produção comercial, os alevinos de M. platanus poderiam ser cultivados em uma densidade de estocagem entre 3 e 5 alevinos/L; contudo, a taxa de troca de água deveria ser mais elevada, para manter a concentração de amônia mais baixa do que aquela observada neste trabalho

Palavras-chave


piscicultura; densidade de estocagem; tainha; Mugil platanus

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascibiolsci.v23i0.2702





ISSN 1679-9283 (impresso) e ISSN 1807-863X (on-line) e-mail: actabiol@uem.br

 

Resultado de imagem para CC BY