Avaliando o cuidado ao hipertenso em serviços de saúde

Maria José Scochi

Resumo


Avaliar a qualidade do processo e do resultado do cuidado aos hipertensos na rede básica de serviços de saúde. Nos meses de novembro e dezembro de 1995, foram realizadas cinquenta e nove entrevistas com pacientes em crise hipertensiva ou com diagnóstico de hipertensão em sete hospitais do município de Maringá, Estado do Paraná. A partir das entrevistas, buscaram-se, nas unidades básicas, os prontuários para verificar a presença ou não do registro de procedimentos considerados como pontuais no tratamento da hipertensão. A maioria (52) apresentava hipertensão severa e 83% dos entrevistados conheciam a doença. Todos referiram estar em tratamento, 2 chegaram ao hospital sem haver passado por outro serviço; 43 (73%) disseram cumprir recomendações dietéticas e 18 (30%) afirmaram praticar exercícios físicos. Foram localizados e pesquisados 29 prontuários (49,2%). O registro da pressão arterial constava em 79% das consultas, da altura em 14%. O diagnóstico, as prescrições e os encaminhamentos estavam ausentes em 95% das consultas. Todos necessitavam da internação, alguns por não seguirem corretamente as prescrições, outros por estarem recebendo tratamentos inadequados.

Palavras-chave


assistência ambulatorial; avaliação de processo e resultado; hipertensão arterial

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v23i0.3006

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 1679-9291 (impresso) e ISSN 1807-8648 (on-line) e-mail: actahealth@uem.br