Prevalência de perda precoce de molares decíduos: estudo retrospectivo - DOI: 10.4025/actascihealthsci.v30i2.3943

Alessandro Leite Cavalcanti, Suyanne Amorim Menezes, Ana Flávia Granville-Garcia, Luciana Barros Correia Fontes

Resumo


Este estudo retrospectivo determinou a prevalência da perda precoce de molares decíduos em pacientes atendidos na clínica de Odontopediatria da Universidade Estadual da Paraíba. Foram examinados 515 prontuários, sendo os dados registrados em um formulário. Foram analisadas as variáveis: gênero, idade, tipo de molar decíduo perdido, arcada dentária (maxilar ou mandibular) e lado (direito e esquerdo). Observou-se que a prevalência de perda precoce foi de 15,1%, existindo uma distribuição similar entre os gêneros. Em relação à idade da criança, a maior freqüência de perda acometeu pacientes com sete anos (32,1%). Houve distribuição equitativa da perda dentária entre as arcadas superior e inferior, com 43,6% cada uma, sendo o lado esquerdo o mais acometido (41%). O segundo molar superior esquerdo foi o mais acometido (17,9%), seguido do primeiro molar decíduo superior direito (16,1%). Pode-se concluir que a prevalência de perda precoce foi baixa e que os molares decíduos superiores foram os dentes mais comumente perdidos.

Palavras-chave


Prevalência; Perda de dente; Dente decíduo; Prevalence; Tooth loss; Deciduous tooth.

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v30i2.3943

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 1679-9291 (impresso) e ISSN 1807-8648 (on-line) e-mail: actahealth@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY