Comportamento dos acadêmicos, docentes e técnicos-administrativos da clínica odontológica da Unioeste: riscos ocupacionais e atividades desenvolvidas - DOI: 10.4025/actascihealthsci.v30i1.587

Neide Tiemi Murofuse, Débora Cristina Ignácio Alves, Gleicy Cristina Favero, Aline de Oliveira Brotto

Resumo


Os profissionais, usuários e demais envolvidos no atendimento odontológico estão expostos a diversos riscos ocupacionais. A pesquisa teve como objetivos identificar os riscos ocupacionais existentes, os procedimentos realizados, os equipamentos de proteção individual utilizados, os treinamentos recebidos e os acidentes sofridos. A amostra do tipo não probabilística foi composta por 61 acadêmicos, 27 docentes e 12 técnicos-administrativos. Os dados foram coletados através da observação dos atendimentos realizados e um questionário semi-estruturado. Das vinte e oito observações realizadas, a maioria foi na Clinica Integrada do Adulto (53,6%), seguida pela Clínica Integrada Infantil (35,7%) e na Dentística (10,7%). Para a totalidade dos docentes e técnicos existem riscos, sendo referidos o biológico e de acidente. A maioria (98,4%) dos acadêmicos considera a existência de riscos, contudo 1,6% a negam e 8,2% deles sofreram acidentes. Quanto ao uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), 25% dos técnicos-administrativos não têm o hábito de usá-los. Embora os acadêmicos e docentes tenham relatado seu uso como forma de proteção, nem todos citaram a paramentação completa. Assim, o registro de acidentes e a baixa adesão aos EPI´s evidenciou a necessidade de treinamento e conscientização dos envolvidos.

Palavras-chave


Riscos ocupacionais; odontologia; prevenção de acidentes; saúde do trabalhador; educação em saúde

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/actascihealthsci.v30i1.587

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN 1679-9291 (impresso) e ISSN 1807-8648 (on-line) e-mail: actahealth@uem.br

  

Resultado de imagem para CC BY