Resumo visualizado: 285 vezes

Conservação da fauna do bioma Mata Atlântica utilizando técnicas de taxidermia a fim de promover a educação ambiental

Andressa Radtke Baungratz, Fabiana Rankrape, Jucelaine Haas

Resumo


A taxidermia visa promover a preservação de diferentes espécimes mortos, em processo de extinção ou não. Mantendo as características naturais do animal, requer do taxidermista conhecimento sobre vários assuntos (biologia, arte, legislação e anatomia). O produto final, feito a partir de animais que tiveram morte natural ou por atropelamento, promove a conscientização ambiental. O trabalho foi desenvolvido na UTFPR, câmpus Dois Vizinhos, pertencente ao bioma da Mata Atlântica, onde vários animais selvagens são encontrados mortos. Assim, o objetivo foi preparar espécimes taxidermizados como material didático para disciplinas universitárias, como Zoologia de Vertebrados, bem como exibir os espécimes em perigo de extinção para o público em geral. Os animais taxidermizados foram:  Cerdocyon thous (...), Odontophorus capueira (...), Ramphastus dicolorus (...), Lepus europaeus (...), Coturnix coturnix coturnix (...) e Nasua nasua (...). Ao preparar esses espécimes taxidermizados, foi possível acrescentar novas possibilidades de aprendizado em aulas de Zoologia na UTFPR-DV, bem como proporcionar ao público a oportunidade de conhecer diferentes exemplares de espécies selvagens.  


Palavras-chave


Animais empalhados. Fauna. Preservação.

Texto completo:

PDF (baixado PDF - 344 vezes)

Referências


ANDRADE, L. P.; VICTÓRIO, C. F. Proposta de Criação de uma Coleção de Vertebrados Taxidermizados como Modelo para Atividades de Ensino. UNOPAR Científica: Ciências e Humanas e Educação, v. 16, n. 5, p. 479-482, 2015.

AURICCHIO, P.; SALOMÃO, M. G. Técnicas de coleta e preparação de vertebrados: para fins científicos e didáticos. São Paulo: Instituto Pau Brasil de História Natural. 2002. 349p.

BRASIL. Lei complementar nº 140, de 8 de dezembro de 2011. Lex: parágrafo único do art. 23 da Constituição Federal. Brasília, DF, 08 dez. 2011 (a). Suplemento.

BRASIL. Portaria no 12/2011, de 5 agosto de 2011. Estabelece a Autorização para captura, coleta e transporte de material biológico (Abio). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 07 dez. 2011.

CHAGAS, I. Aprendizagem não formal/formal das ciências: Relações entre museus de ciência e escolas. Revista de Educação, v. 3 n. 1, p. 51-59, 1993.

FABICHAK, I. ABC da taxidermia (arte de empalhar animais). São Paulo: Cupolo. 1969. 51 p.

HAAS, J. et al. Osteotécnica de animais silvestres como ferramenta de ensino de Zoologia. In: XXXI SEURS - SEMINÁRIO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA DA REGIÃO SUL, 2013. Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2013. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/116493>. Acesso em: 04 set. 2017.

LIMA, G. G. B. A conservação da fauna e da flora silvestres no Brasil: a questão do tráfico ilegal de plantas e animais silvestres e o desenvolvimento sustentável. Revista Jurídica Presidência, v. 9, n. 86, p. 134-150, 2007.

LIMA, J. F. S.; BARBOSA, M. V. M. Atuações educativas do Mudeu de Zoologia “José Hidasi” da Unitins para com as instituições de Ensino e Comunidades Tocanstinenses. Revista Humanidades e Inovação, v. 3, n. 1, p. 58-65, 2016.

MADI FILHO, J. M. I. Animais taxidermizados como materiais de ensino em fins do século XIX e começo do século XX. 2013. 142 f. Dissertação (Mestrado em Educação: política, história e sociedade) - Pontífica Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

MONTEIRO, A. R. Taxidermia em mamíferos. Viçosa: Imprensa Universitária da Universidade Federal de Viçosa, 1993.

PEZENTE, M. T. et al. A utilização de carcaças de pinguins-de-magalhães para promoção da Educação ambiental. In: 1º SEMINÁRIO DE PESQUISA, EXTENSÃO E INOVAÇÃO DO IF-SC, 21, 2011, Criciúma. Revista Técnico Científica do IF-SC, v. 1, p. 218, 2011. Suplemento 1.

PIACENTINI, V. Q.; SILVEIRA, L. F.; STRAUBE, F. C. A coleta de aves e sua preparação em coleções científicas. In: MATTER, S. et al. Ornitologia e conservação: ciência aplicada, técnicas de levantamento e pesquisa de campo. São Paulo: Technical Books, 2010. p. 01-18.

POZENATO, A. et al. A importância da visitação monitorada no Museu de Ciências Naturais da Universidade de Caxias do Sul. Scientia cum Industria, v. 4, n. 4, p. 244-247, 2016.

PRZYBYSZ, C. H.; CUNHA, W. L. Técnica de modelagem em resina de poliuretano na taxidermia de vertebrados. Iniciação Científica CESUMAR, v. 13, n. 1, p. 81-88, 2011.

ROCHA, E. V. O ensino da educação ambiental com o auxílio de animais taxidermizados. Revista da Católica, v. 1, n. 1, p. 201-211, 2009a.

______. Taxidermia ou empalhamento. 2009 b. Disponível em: . Acesso em: 04 set. 2017.

TAFFAREL, C. D. Museus escolares: a utilização de técnicas de taxidermia como auxílio no ensino da Educação ambiental. Revista Monografias ambientais, v. 10, n. 10, p. 2128 – 2133, 2012.

TROPHY TAXIDERMIA. Taxidermia.com: O melhor site sobre taxidermia do Brasil, s. a. Disponível em: . Acesso em: 01 mar. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.4025/arqmudi.v1i1.39312

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN: 1980-959X