Geomorfologia da quadrícula de Ponta Grossa, PR – uma ênfase aos recursos geotecnológicos utilizados - doi: 10.4025/bolgeogr.v28i2.10614

Susana Volkmer, Bruno Aurélio Camolezi, Matheus Aparecido Godoy Ribeiro

Resumo


Por meio da utilização de diferentes possibilidades de softwares, o presente trabalho propõe um mapeamento geomorfológico, com intuito de definir compartimentos geomorfológicos para uma área com cerca de 12.000 km2, que abrange a Quadrícula de Ponta Grossa – QPG. As diferentes técnicas, programas e metodologias tratados nas geotecnologias têm favorecido em muito os trabalhos de enfoque geomorfológico, na medida em que propiciaram com maior rapidez e eficácia a identificação de texturas, formas, e padrões de formas, verificados nos produtos de sensoriamento remoto, como as imagens de radar, de satélite e as fotografias aéreas. Estes instrumentos de análise são efetivamente utilizados, quando se pretende caracterizar domínios ou compartimentos geomorfológicos e mesmo, os processos em superfície. A compartimentação geomorfológica da QPG foi obtida, associando-se dados litológicos (Mineropar, 2001), morfométricos do relevo (declividade, hipsometria), e os fornecidos pelas cartas de drenagem e de lineamentos estruturais. Assim, foram identificados nove compartimentos geomorfológicos: CG1 - Planalto Alto Serrinha (PAS); CG2 - Planalto Médio escarpado (PMe); CG3 - Planalto Baixo retrabalhado pelo rio Iguaçu (PBrI); CG4 - Planalto Médio de topo plano (PMtp); CG5 - Planalto Médio retrabalhado pelo rio Iguaçu (PMrI); CG6 - Planalto Médio fortemente dissecado (PMfd); CG7 - Planalto Alto dissecado (PAd); CG8 - Planalto Baixo intensamente fraturado (PBif) e CG9 - Planalto Baixo fraturado e retrabalhado (PBfr)

Palavras-chave


Geotecnologias; Compartimentos Geomorfológicos; Ponta Grossa; Softwares de Informação Geográficas

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v28i2.10614



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br