A história oral como instrumento no desenvolvimento e elaboração da pesquisa - doi: 10.4025/bolgeogr.v30i2.11325

Josué Carneiro

Resumo


Este trabalho pretende apresentar uma análise sobre a importância da utilização da história oral como procedimento metodológico em uma pesquisa quando o assunto abordado nos leva a tentar entender de forma prática e empírica fatos ocorridos em épocas anteriores que envolveram como agentes principais “pessoas”. Quando nos referimos a fatos e pessoas como temas centrais de uma pesquisa devemos lembrar que é necessário haver uma ponderação entre o que é relatado e o que aconteceu de fato. Este tipo de análise foi importante para o desenvolvimento de pesquisa realizada para a elaboração da dissertação de mestrado junto ao Programa de Pós-Graduação em Geografia na Universidade Estadual de Maringá (UEM). A pesquisa teve como tema principal as modificações ocorridas em Quinta do Sol durante as décadas de 1960, 1970, 1980 e 1990. O trabalho envolveu não só interesses econômicos em âmbito local, regional e nacional, mas também investigou as profundas transformações no modo de vida das pessoas que moravam no município na época. Portanto, para entender o que aconteceu neste espaço e com os seus moradores destacamos a relevância da história oral como procedimento metodológico, abrangendo os relatos, fotos, documentos e outros. Procuramos valorizar cada fato ou dado apresentado para o desenvolvimento da pesquisa.

Palavras-chave


Geografia; História Oral; Procedimento Metodológico; Pesquisa

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v30i2.11325



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br