ANÁLISE SÓCIO-AMBIENTAL DO ATERRO SANITÁRIO DE APARECIDA DE GOIÂNIA, GO: DEZ ANOS APÓS SUA IMPLANTAÇÃO

Priscila Maia Barbosa

Resumo


Os resíduos sólidos urbanos apresentam, desde sua origem até a disposição final, aspectos sociais, políticos e ambientais bastante complexos. A sociedade que o produz; os “catadores de lixo”; os gestores dos resíduos; os políticos; e o ambiente onde são dispostos os resíduos são os elementos dinamizadores que envolvem os resíduos sólidos urbanos. Os resíduos sólidos têm como destino final lixões, aterros controlados e aterros sanitários os quais se distinguem pelos métodos tecnológicos e sanitários aplicados na disposição dos resíduos. Os aterros sanitários são considerados os locais de disposição de resíduos que oferecem as melhores condições tecnológicas e de infraestrutura em consonância com as exigências ambientais atuais. Esse artigo versa sobre as transformações sócio-ambientais ocorridas no Aterro Sanitário da cidade de Aparecida de Goiânia, GO, desde sua criação em 2002 até o ano de 2012. Para execução da pesquisa foram realizados trabalhos de campo, entrevistas e pesquisas em fontes de dados secundários. Os resultados obtidos mostram os percalços e avanços na sua gestão, assim como sua compatibilidade com a legislação federal relativa aos resíduos sólidos. Conclui-se que embora o aterro represente um avanço no que tange a disposição de resíduos sólidos do município, esse ainda carece de ações de gestão voltadas para maximizar sua vida útil e minimizar os impactos sócio-ambientais causados pela sua existência.


Palavras-chave


Resíduos sólidos urbanos. Aterro sanitário. Aparecida de Goiânia.

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v33i2.22610



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br