ESPAÇOS RURAIS: ALÉM DOS ALIMENTOS, A VOCAÇÃO ENERGÉTICA

Mario Zasso Marin, Cícero Jaime Bley Júnior, Rafael Hernando de Aguiar Gonzalez

Resumo


Além da produção de alimentos e matérias-primas o espaço rural brasileiro tem se caracterizado, nas duas últimas décadas, pela incorporação de novas atividades, chamadas de atividades não agrícolas no rural (turismo rural, agroindústrias familiares, agroenergia). No Oeste paranaense, pertencente ao território da Bacia Hidrográfica do Paraná 3 (BP3), a pecuária (aves, suínos e bovinos) é uma das atividades desenvolvidas pela agricultura familiar que gera enormes quantidades de dejetos (biomassa residual). O objetivo desse artigo foi caracterizar o território da BP3 e destacar a sua vocação agroenergética como estratégia de geração de renda e emprego. Por meio de ações da Itaipu Binacional e demais parceiros na BP3 a biomassa residual da pecuária tem sido aproveitada por meio de biodigestores para a produção do biogás e do mesmo energia (elétrica e térmica), biofertilizantes e créditos de carbono. Trata-se de uma nova atividade que permite evitar a contaminação ambiental, gerar renda e promover o desenvolvimento rural sustentável.


Palavras-chave


Bacia do Paraná 3. Agricultura familiar. Biogás.

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v34i3.24079



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br