ESTUDOS DA FRAGMENTAÇÃO DA PAISAGEM NA DEFINIÇÃO DE ÁREAS PRIORITÁRIAS PARA A RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO BURANHÉM

Dayse Gomes de Azevedo, Ronaldo Lima Gomes, Maria Eugênia Bruck de Moraes

Resumo


O presente trabalho tem o objetivo de identificar áreas prioritárias para recuperação ambiental na bacia hidrográfica do Rio Buranhém (BHRB), a partir da análise das características dos atributos físico-ambientais e de uso e ocupação do solo da bacia, aliada a análise da fragmentação florestal obtida a partir da utilização de conceitos e métricas da Ecologia da Paisagem. Para tanto a metodologia adotada inicialmente consolidou, em ambiente de Sistemas de Informações Geográficas (SIG), as informações dos atributos físico-ambientais a exemplo de formas de relevo, substrato rochoso e solos, e de uso e ocupação do solo, obtidas através de informações de modelo digital do terreno e de sensores remotos. Com o entendimento da distribuição dos atributos físico-ambientais na bacia, foi possível definir 10 unidades geoambientais homogêneas. Em seguida, em ambiente SIG, utilizando as métricas da Ecologia da Paisagem, foram analisados os fragmentos florestais em toda a área da bacia, incluindo a análise de suas características individuais em cada uma das 10 unidades geoambientais mapeadas e em APP – Áreas de Preservação Permanente. Os resultados encontrados atestam o cenário em que a BHRB está ocupada predominantemente por áreas de pastagens e apenas 18,44% de remanescentes florestais, que se encontram, em grande parte da bacia, fragmentados com dimensões variando entre 3 a 10ha e com formas irregulares devido ao processo de ocupação. Por fim, para cada uma das unidades geoambientais mapeadas foram elencadas áreas favoráveis a recuperação ambiental, com destaque para as APP de faixa marginal a corpos d água e nascentes, em virtude do seu uso intensificado por pastagens, devendo ser priorizadas a fim de contribuir para uma maior conectividade dos fragmentos florestais.


Palavras-chave


Fragmentação Florestal. Mapeamento Geoambiental. Áreas de Preservação Permanente.

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v34i2.25554



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br