CONTRAPONTOS ENTRE O TRADICIONAL E O MODERNO NO RURAL

Antonio Joaquim da Silva, Maria do Socorro Lira Monteiro, Eriosvaldo Lima Barbosa

Resumo


A expansão do agronegócio, particularmente no Brasil, visando potencializar o capital através da produção agropecuária para abastecer os mercados doméstico e global, tem incremento uma modernização técnico/científica que põe em questão a continuidade da tradicionalidade do agricultor familiar. Nesse sentido, este artigo pretende refletir os contrapontos da hibridação cultural entre a agricultura familiar e o agronegócio, vendo-os como processos que buscam reconverter um patrimônio de conhecimentos e técnicas para reinseri-lo em novas condições de produção e mercado. Considerou-se, para efeito de discussão, a análise bibliográfica sobre as categorias modos de vida e hibridação cultural. Após a análise, conclui-se que as alterações provocadas pelo agronegócio, sobretudo nas paisagens, no simbolismo, no consumo, nas relações sociais de trabalho, na organização da produção e nas sociabilidades, não eliminaram os contextos históricos do agricultor familiar, em especial, a tradicionalidade camponesa, posto coexistir aos imperativos da mercantilização da agricultura.


Palavras-chave


Culturas híbridas. Espaços vazios. Globalização. Modos de vida. Reciprocidade.

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v34i2.27884



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br