Considerações sobre as formas de abordagem de imagens multiespectrais em Geografia - doi: 10.4025/bolgeogr.v29i2.9624

Otávio Cristiano Montanher, Edvard Elias de Souza Filho

Resumo


Imagens multiespectrais são importantes fontes de dados para pesquisas geográficas, pois permitem a caracterização e a espacialização dos alvos em estudo, de forma multitemporal e de baixo custo. Entretanto, comumente esta fonte de dados é utilizada de forma equivocada em estudos geográficos, sem considerações aos seus aspectos quantitativos e qualitativos. A proposta do presente trabalho é demonstrar como a pseudoanálise de imagens multiespectrais, tratando-as como “figuras” não possui correspondência científica e geográfica. A análise de uma imagem multiespectral sem considerações a seus aspectos espectrais, quantitativos e aos elementos de interpretação de imagens pode comprometer toda a sequência de estudos geográficos de uma pesquisa. Neste trabalho são apresentados alguns exemplos da utilização de imagens multiespectrais em geografia, utilizando o sensor TM do satélite LANDSAT 5. A partir destes exemplos propostos, são feitas considerações sobre a adoção das diferentes abordagens de análise e são apresentados os erros que podem existir ao se adotar bases inadequadas em relação aos objetos e objetivos de pesquisas científicas.



Palavras-chave


Sensoriamento Remoto; Imagens Multiespectrais; Interpretação de Imagens

Texto completo:

PDF (baixado


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/bolgeogr.v29i2.9624



ISSN 2176-4786 (on-line) e-mail: dge-boletim@uem.br