Visitas domiciliares como instrumento na assistência ao recém-nascido de muito baixo peso e sua família

Anelize Helena Sassá, Thabata Cristina Silveira Rosa, Sarah Nancy Deggau Hegeto de Souza, Edilaine Giovanini Rossetto

Resumo


A visita domiciliar (VD) é uma estratégia que amplia o cuidado para o contexto extra-hospitalar. Os objetivos deste estudo foram caracterizar famílias e recém-nascidos de muito baixo peso que receberam VD e sistematizar os problemas encontrados e as intervenções realizadas. O estudo é descritivo e quantitativo e foi realizado com 86 famílias, através de instrumento próprio e prontuários. Destas famílias, 83,7% receberam VD pré-alta e 86,0%, pós-alta. A renda familiar mensal foi <1,9 salário mínimo para 66,4% das famílias, e 30,6% das mães eram adolescentes. Em sua maioria (88,4%) os bebês permaneceram internados por mais de 30 dias e 40,7% deles receberam alta com idade gestacional corrigida <37 semanas. Na pré-alta, 40,5% dos problemas relacionavam-se com as condições do domicílio e o ambiente. Nas VDs pós-alta, 25% dos problemas referiam-se à alimentação e em 65% dessas visitas foram feitas referências à Unidade Básica de Saúde (UBS). A VD possibilitou o reconhecimento do contexto familiar e uma detecção precoce dos problemas e dificuldades, e foi uma ferramenta eficaz para a assistência integral e individualizada às famílias e aos bebês.



Palavras-chave


Enfermagem Neonatal; Visita Domiciliar; Prematuro. Família.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v10i4.18315



ISSN 1677-3861 (impresso) e ISSN 1984-7513 (on-line)