Imagem para capa

Corrupção e políticas públicas: diretrizes para a garantia de direitos sociais fundamentais

Ismael Francisco de Souza, Raimar Rodrigues Machado

Resumo


A indignação que a todos assola diante dos casos de corrupção ocorridos nas instituições políticas no Brasil geralmente não atinge o nível necessário para que se percebam os custos que essa espécie de “patologia social” acarreta à sociedade no tocante aos direitos fundamentais previstos no ordenamento constitucional, sejam eles de natureza coletiva ou individual, como a educação, a saúde, a assistência social. Na construção do presente artigo, utilizou-se o método de abordagem dedutivo e o método de procedimento analítico, com técnicas de pesquisa bibliográfica. Assim, partindo da constatação de que há restrição aos direitos sociais fundamentais como a educação, a saúde e a assistência social e que há o comprometimento das políticas públicas sociais como consequência da corrupção política (como fato social), este artigo objetiva demonstrar a relação existente entre a corrupção e a não efetivação dos direitos e políticas sociais, o que compromete a democracia. Para tanto, abordar-se-ão: (1) a “Boa Administração Pública” e suas relações com os processos participativos; (2) os pressupostos conceituais das patologias corruptivas; e (3) as consequências da corrupção para os direitos sociais fundamentais e às políticas públicas.


Palavras-chave


direitos sociais; patologias corruptivas; administração pública.

Texto completo:

PDF (baixado




Direitos autorais 2016 Revista Espaço Acadêmico